Aviação Destaques Eventos Transporte

LIDE reúne autoridades do Turismo em Almoços-Debates

Ministro Moreira Franco em palestra no LIDEContinuando com seus concorridos eventos, o LIDE – Grupo de Líderes Empresariais realizou dois Almoços-Debates no mes de julho tendo como convidados duas autoridades do mercado de turismo, o Ministro do Turismo Vinicius Lages e o Ministro da Aviação Civil, Wellington Moreira Franco.

Nas duas oportunidades, a organização liderada pelo empresário João Dória Júnior reuniu no hotel Grand Hyatt, em São Paulo, uma platéia com centenas de executivos de destaque do mercado empresarial e de turismo e autoridades.

Ministro do Turismo

Em sua palestra, Vinicius Lages falou sobre o legado da Copa para o turismo brasileiro, se referindo aos impactos positivos do evento para o país e ressaltando o seu impacto econômico, que teria movimentado cerca de R$ 6,7 bilhões na economia e atraído pelo menos 600 mil turistas estrangeiros além de 3,1 milhões de brasileiros.

Em rápido balanço dos dez anos de existência do Ministério, o ministro lembrou que o Brasil conseguiu dobrar o número de viagens domésticas em dez anos, passado dos 100 milhões em 2003 para 200 milhões em 2013, e que teve um aumento de 43% do número de turistas internacionais neste período. Hoje são seis milhões de estrangeiros visitando o país, mas a meta do Plano Nacional de Turismo é duplicar este número até 2022.

Moreira Franco

Por sua vez,  Wellington Moreira Franco falou do aumento de capacidade dos aeroportos privatizados, apesar de negar a necessidade de privatização do aeroporto de Congonhas, um dos movimentados do país. Respondendo a uma pergunta da Viagem de Incentivo, o ministro afirmou que o aeroporto já está saturado e que a alternativa seria que a iniciatuiva privada investisse em novos aeroportos, tanto para a aviação civil quanto para a executiva.

De acordo com ele, nos últimos três anos e meio foram investidos R$ 11,3 bilhões em com recursos públicos e privados no aumento da capacidade dos aeroportos brasileiros, resultando em 400 mil metros quadrados de terminais, 65 novas pontes de embarque, 1,4 milhão de metros quadrados de pátios e 270 novas vagas de estacionamento para aeronaves. Tudo isso permitiu que mais 70 milhões de passageiros pudessem circular por esses aeroportos, o equivalente a seis vezes a população da cidade de São Paulo ou duas vezes a população da Argentina.

Moreira Franco também ressaltou os índices positivos do setor durante a Copa do Mundo, com elevada movimentação de passageiros e com indicadores positivos. No período do evento, só 6,94% dos voos atrasaram mais de meia hora, o check-in durou em média menos de 11 minutos e os procedimentos de Imigração, cerca de 5 minutos. Já a restituição de bagagem demorou aproximadamente 8 minutos nos voos domésticos e 28 minutos nos voos internacionais.

Agora temos que cobrar da Anac – Agência Nacional da Aviação Civil – a manutenção desse patamar de excelência”, declarou Moreira Franco, aproveitando a presença do presidente da agência, Marcelo Guaranys.

Pin It on Pinterest

Share This