Destinos

Planos para museu de automobilismo continuam avançando, mas precisam ser ampliados

Detalhe do radiador de um Ford 1909

Detalhe do radiador de um Ford 1909

Conforme publicamos há um ano atrás, São Paulo está prestes a ganhar um Museu do Automóvel no Autódromo de Interlagos.

Segundo as negociações em andamento, a fórmula seria uma parceria público-privada (PPP) entre um investidor privado, a direção do Autódromo de Interlagos e a São Paulo Turismo (SPTuris).

O objetivo é a construção de um espaço cultural que, além de resgatar a história do automóvel, seja também uma atração turística.

Segundo Roberto Seixas, diretor do Autódromo de Interlagos, “outros municípios disputaram o museu, mas tudo caminha para que ele seja construído em São Paulo. De fato, as negociações estão bastante adiantadas.”

Projeto deve ser mais amplo

Como se trata de concessão em uma área pública, seria muito melhor e mais interessante se o projeto fosse mais amplo e ambicioso, de modo a oferecer um espaço para abrigar e exibir algumas das diversas coleções importantes de veículos existentes no país, como por exemplo a do antigo Museu do Automóvel de Caçapava, criado pelo colecionador Roberto Lee, cujo importante acervo está abandonado e se deteriorando desde a sua morte.

A nosso ver, sem qualquer demérito ao que já foi feito até agora, é imperativo envolver na iniciativa a ANFAVEA, que representa a poderosa indústria automobilística, que com certeza tanto tem verbas para investir numa “vitrine” tão importante quanto tem a obrigação moral de preservar a memória do setor. Seria o mínimo que a indústria automobilística poderia fazer, oferecendo algo em troca aos contribuintes pelos benefícios que vem recebendo do governo desde a sua implantação.

A Petrobrás, que patrocina tantas coisas nem remotamente relacionadas ao combustível,  também. A Unica, poderosa representante dos produtores de álcool, seria outra que deveria apoiar um projeto sério, amplo e profissional. Ao mesmo tempo, a Reed/Alcântara, que organiza o Salão do Automóvel, também deveria se interessar pelo assunto. A lista é grande, passando pela poderosa FIESP, pela indústria de autopeças, pelos fabricantes de pneus, pelos bancos, que lucram com os financiamento de veículos, pela FEI, etc., etc. etc.

Veja aqui o que já publicamos sobre o assunto.

Pin It on Pinterest

Share This